Pular para o conteúdo principal

Deus no Controle

Prosseguiu ele e me disse: Esta é a palavra do SENHOR a Zorobabel: Não por força nem por poder, mas pelo meu Espírito, diz o SENHOR dos Exércitos”. (Zacarias 4.6)
Como faço para deixar Deus no controle? Como faço para entender a vontade de Deus em minha vida?
Uma vez um homem disse: “A voz de Deus é como os acordes de um violão, quanto mais ouço mais entendo e para melhor compreendê-los preciso afinar os meus ouvidos”. Com toda certeza temos dificuldades em ouvir a voz de Deus, quando a ouvimos pela primeira vez ela ressoa como um trovão em nossas vidas, mas com o tempo esses trovões podem se tornar meros relâmpagos.
Quando olhamos para as ações de Deus em nossa vida percebemos que Ele é a melhor opção para conduzir as nossas vidas, mas muitas vezes questionamos e não entendemos os projetos de Deus, eu não vejo em nenhum momento Noé, depois de receber o projeto da arca perguntar: “Senhor como vou levar este imenso barco para as águas?”, depois de analisado o projeto de forma minuciosa, não vejo Noé perguntando para Deus: “ Olha o seu projeto está bom, mas acho que o Senhor esqueceu de colocar os lemes, como vou pilotar o barco?”. Noé está centrado na promessa de Deus, entendendo que a sua missão era construir conforme as orientações de Deus o restante Ele faria.
O Pentecostes para os cristãos é a descida do Espírito Santo instaurando a Igreja do Novo Testamento, concretizando a promessa feita através do profeta Joel: E acontecerá, depois, que derramarei o meu Espírito sobre toda a carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, vossos velhos sonharão, e vossos jovens terão visões; até sobre os servos e sobre as servas derramarei o meu Espírito naqueles dias. Mostrarei prodígios no céu e na terra: sangue, fogo e colunas de fumaça. O sol se converterá em trevas, e a lua, em sangue, antes que venha o grande e terrível Dia do SENHOR. E acontecerá que todo aquele que invocar o nome do SENHOR será salvo; porque, no monte Sião e em Jerusalém, estarão os que forem salvos, como o SENHOR prometeu; e, entre os sobreviventes, aqueles que o SENHOR chamar.(Joel 2.28-32)
No contexto de Zacarias vemos enormes desafios para serem superados, o templo e a cidade de Jerusalém haviam sido destruídos, e havia muita resistência para a sua reconstrução, há 15 anos que tudo estava parado, o Senhor tinha usado a boca do profeta Ageu para anunciar que viria tribulação sobre as nações, mas o que estava acontecendo era paz, isto assustou a todos, será que Deus nos esqueceu? Faz dois meses que nos disse que a justiça viria sobre as nações, mas o que vemos é paz.
Muitas vezes temos dificuldades de entender as ações e o tempo de Deus, muitas vezes perdemos de viver a graça de Deus de forma intensa, eles olhavam uma situação política, enquanto que o Senhor aguardava os corações serem rasgados pelo arrependimento.
Não é pela força do homem, nem dos seus exércitos, nem pelo poder das nações, por mais fortes que pareçam, mas é pelo Espírito, e se é pelo Espírito então temos que ter um relacionamento com ele.
Certa vez me perguntaram o que poderiam fazer para amar a igreja que estavam. E como era uma congregação onde todos os sábados nós chegávamos e tínhamos que organizar todo o salão com bancos de madeira muito pesados e no domingo depois da escola dominical carregá-los e empilhar todos novamente. Eu disse: quando cheguei aqui não amava tanto este lugar, mas a cada banco que carrego eu me apaixono cada vez mais por este lugar, então venha carregar bancos com a gente!
Cristo ama a Igreja carregando bancos pesados como eu em direção à sua vontade, Ele amou a Igreja sendo crucificado por ela, pagando o preço por ela. Se você quer ser dirigido pelo Espírito de Deus tem que amá-lo, e para amá-lo tem que pagar o preço.
Jesus disse que para ser seu discípulo teria que negar a si mesmo, tomar a cada dia a sua cruz e segui-lo, também disse que aquele que põe a mão no arado e olha para trás não é digno de ser chamado seu discípulo.
O apóstolo Paulo, que passou grandes dificuldades ao levar o Evangelho de país a país, e quando ele por sérios problemas de saúde recorre à Deus e recebe uma promessa muito animadora: “A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza.” (2Co 12.9a)
Se buscássemos o poder de Deus no Espírito Santo teríamos a maior força que poderíamos precisar, e com certeza somaríamos mais vitórias.
A Bíblia fala que devemos nos embriagar com o Espírito, pois ele convence o pecador do seu pecado, da justiça e juízo de Deus, que devemos andar no Espírito.
Não tente carregar a sua vida, você não irá longe, deixe o Espírito te levar e com certeza você será mais que vencedor.
1. Fortalecei-vos no Senhor
“Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas cousas vos serão acrescentadas.(Mateus 6.33)
2. Confiai no Senhor
Forjai espadas das vossas relhas de arado e lanças, das vossas podadeiras; diga o fraco: Eu sou forte”. (Joel 3.10)
3. Esperai no Senhor
“Tornai-vos para mim... e eu me tornarei para vós outros” (Zacarias 1.3)
1. Ele está ciente das circunstâncias
2. Protege e abençoa
3. Cobra dos desobedientes
Conclusão:
 “As mulheres se alegravam e, cantando alternadamente, diziam: Saul feriu os seus milhares, porém Davi os seus dez milhares” (1 Sm 18.7). 
Essas vitórias militares ou o acerto de contas com Golias foram os atos mais marcantes de Davi? De jeito nenhum! Sua maior vitória foi quando ele, com a força que vem de Deus, não fez uso da sua espada quando surpreendeu seu inimigo mortal Saul na caverna de En-Gedi (1 Sm 24)!
Volte-se para Deus e ele se voltará para você!
Quando soldados vão para a guerra, deixam as suas famílias para trás, essa falta causa dor e saudades, o reencontro é a renovação do relacionamento que estava distante, são momentos lindos e maravilhosos que Deus quer ter com você.
Assista o vídeo:



Deus quer renovar o relacionamento contigo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sardes - Igreja Morta

Ser discípulo de Cristo é um privilégio. Saber que Deus nos escolheu para gerar o caráter de Seu Filho em nós e tornar-nos semelhantes a Ele deve encher nosso coração de alegria e santo temor.
Infelizmente, como a Igreja de Sardes que é conhecida como a “Igreja Morta”, alguns se enveredam por esse caminho e se tornam mortos, mesmo frequentando templos, liderando grupos, participando de eventos e outros ritos religiosos.
O processo não é tão complexo. Basta uma decepção com alguém ou alguém (pessoa ou instituição) para ter início a queda ladeira abaixo. O clamar pela intervenção divina, sem resposta, leva a agonia e a decisões precipitadas.
Então a pessoa resolve fazer as coisas pela própria força e concebe o pensamento maligno que suas estratégias são melhores do que as de Deus. Seu coração se enche de soberba a ponto de não poder ser questionada e tudo passa a girar em torno dela. A pedra no túmulo são as máscaras usadas para camuflar erros, para atrair e afastar pessoas, para manter …

A Páscoa que Precisamos

“Expurgai o fermento velho, para que sejais massa nova, assim como sois sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, já foi sacrificado.” (1 Coríntios 5.7)

A festa da Páscoa é a comemoração cristã mais antiga, é o evento principal do cristianismo e isto é devido a termos nela envolvida a Paixão de Cristo, sua Crucificação e Ressurreição. Páscoa é o “Domingo dos Domingos” para os cristãos, mas a sua marca foi adotada por Jesus através da tradição judaica, pois a Páscoa para o judeu era uma ordenança do Antigo Testamento, onde temos a libertação do povo do Egito e sua caminhada para a Canaã. Nesse evento a lembrança é um tempo de sofrimento e escravidão egípcio e ainda o grande livramento da morte dos primogênitos daqueles que tinham o sangue do carneiro sobre o umbral de suas casas. O grande livramento e libertação que o povo judeu teve, ficou marcado na sua história e Deus estabeleceu a Páscoa judaica para que eles se lembrassem deste episódio e permanecessem firmes nos propósitos divinos…

Porque Oramos?

Os crentes não oram com a intenção de informar a Deus a respeito das coisas que ele desconheça, ou para incitá-lo a cumprir o seu dever, ou para apressá-lo, como se ele fosse relutante. Pelo contrário, eles oram para que assim possam despertar-se e buscá-lo, e assim exercitem sua fé na meditação das suas promessas, e aliviem suas ansiedades, deixando-as nas mãos dele; numa palavra, oram com o fim de declarar que sua esperança e expectativa das coisas boas, para eles mesmos e para os outros, está só nele. A oração não é feita para nos exaltarmos diante de Deus, nem para que seja apreciado o que há em nós, mas para confessarmos a nossa miséria e para fazermos sentida lamentação de tudo o que pesa sobre nós, como uma criança faz a seu pai. Ao contrário, pois, de causar temor, o senso de miséria pessoal deve antes ser como uma espora ou como um aguilhão que nos incite à oração.
Como somos advertidos pelo exemplo do profeta, que orou a Deus pedindo-lhe: “Compadece-te de mim, Senhor; sara m…